Moradores da aldeia Mata Verde Bonita definiram quatro representantes mais jovens que estão autorizados a sair da comunidade e somente em caso de necessidade.

Aldeia Mata Verde Bonita, em Maricá, no RJ Giovanna Pires/Inter TV Na contramão da realidade de muitas comunidades indígenas pelo Brasil, a Aldeia Mata Verde Bonita, em Maricá, na Região Metropolitana do Rio, segue sem registrar casos confirmados da Covid-19 até este sábado (4), segundo a Prefeitura. Para evitar casos de contaminação pelo novo coronavírus, a comunidade segue um sistema rigoroso de cuidados, criado pelos próprios moradores. Apenas quatro pessoas, os líderes mais jovens, estão autorizadas a sair da comunidade e somente em caso de necessidade.

"Fizemos uma reunião com a comunidade toda desde o início da pandemia para decidir quais os cuidados a gente iria tomar, como a gente iria seguir para todo mundo se cuidar.

Escolhemos quatro pessoas da aldeia, líderes mais jovens, para sair quando for preciso.

Elas tomam todos os cuidados.

Assim que a gente está se prevenindo.

Temos recebido cesta básica da Prefeitura e algumas coisas a gente planta , então eles só saem para ir no banco, comprar carne ou remédio", explica a indígena Guarani da Aldeia Mata Verde Bonita, Luciana Parapoty, de 26 anos.

Pessoas de fora da aldeia não estão autorizadas a visitar o local, para evitar o contágio. A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) criou uma plataforma para acompanhar os casos do novo coronavírus entre populações indígenas.

Atualizado nesta sexta-feira (3), o levantamento mostra que 10.722 pessoas já foram contaminadas pela doença no país, o que representa 122 povos afetados.

Dos casos confirmados, 420 pessoas morreram pela Covid-19. De acordo com a secretaria municipal de Saúde de Maricá, todos os indígenas da Mata Verde Bonita foram testados e nenhum deles apresentou resultado positivo para a doença, mas, ainda segundo o município, eles permanecem sendo monitorados diariamente pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde. Com cerca de 100 habitantes, a Mata Verde Bonita é uma das oito comunidades guaranis no estado do Rio, segundo a ONU, e tem uma área de proteção ambiental com mais de 90 hectares.

De acordo com a Prefeitura de Maricá, a unidade referência para as aldeias indígenas, cuja equipe é direcionada aos cuidados ao povo indígena, é a Unidade de Saúde da Família São José II, em São José do Imbassaí.

O trabalho é permanente e acompanha as duas tribos da aldeia. Veja outras notícias da região no G1 Região dos Lagos. Initial plugin text